Ministrar a indivíduos por meio de oração e aconselhamento

Precisamos de sabedoria para saber como ministrar às pessoas. Freqüentemente, um ministro pode ter grandes habilidades para pregar e dar aulas. Mas, ao mesmo tempo, carecem de sua capacidade de trabalhar com as pessoas, orando com elas e aconselhando-se com elas.

É preciso paciência para ouvir e esperar no Espírito do Senhor para entender como ajudar as pessoas espiritual e emocionalmente. Muitas vezes, quando se trata de trabalhar com indivíduos, alguns ministros nem mesmo sabem o que eles não sabem. Eles avançam em seu conselho, sem saber que nem mesmo entendem a necessidade do indivíduo.

Em primeiro lugar, para sermos eficazes na oração e no conselho, devemos entender como o Espírito do Senhor já está falando ao coração da pessoa. Devemos aprender a seguir a liderança do Senhor, ao invés da nossa. E isso requer humildade, paciência, escuta e tempo.

Você sabia que Jesus era um bom ouvinte? Jesus perguntava: “O que você quer que eu faça por você?” Portanto, devemos perguntar àqueles que estamos tentando ajudar: "em que você deseja a ajuda do Senhor?" A resposta do indivíduo pode nos dar alguns insights sobre onde está seu coração. Mas não sempre.

Algumas questões que podemos considerar em nossa própria mente enquanto as ouvimos:

  • Eles estão fazendo o pedido puramente por egoísmo ou por uma agenda oculta?
  • É um pedido de uma necessidade real que eles têm ou de outra pessoa?
  • É um pedido de ajuda com uma necessidade espiritual, que eles próprios estão tentando entender?
  • Será que o indivíduo simplesmente não sabe enquadrar as palavras para descrever o pedido?

Um provérbio sábio que todo ministro deve considerar:

"Responder a uma questão antes de ouvi-la, é tolice e vergonha para ele." ~ Provérbios 18:13

Alguns ministros não têm tempo para ouvir. E quando o fazem, pelo menos negligenciam a necessidade do indivíduo. E, na pior das hipóteses, cometem erros graves e magoam seus conselhos e julgamentos. E muitas vezes, eles não têm ideia do que realmente fizeram.

“Portanto, meus amados irmãos, todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar: Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.” ~ James 1: 19-20

Um ministro deve ter cuidado para não julgar as situações apenas pela aparência. Devemos compreender as razões pelas quais alguém fez uma escolha ou executou uma determinada ação. E ficaremos felizes em entender "por quê?"

Houve momentos em que pensei que entendia uma situação, tomei decisões e falei cedo demais. E por causa disso, mais tarde tive que pedir perdão a alguém. Sim, às vezes um ministro pode ter que pedir perdão a alguém.

“O tolo expressa toda a sua mente, mas o homem sábio guarda-a até depois.” ~ Provérbios 29:11

Quando ele diz que um homem sábio o guarda até depois; O que devemos esperar, antes de falarmos?

  1. Devemos esperar para considerar o que seria sensato dizer no momento atual. E o que seria melhor ficar quieto até um momento posterior.
  2. Devemos parar de falar por tempo suficiente para considerar como isso pode afetá-los. Mesmo se o que estamos prestes a dizer for claramente verdade. Às vezes é melhor esperar a hora certa. Quando eles são capazes de recebê-lo.
  3. Definitivamente, devemos esperar até que outra pessoa termine de falar, para entender completamente o que ela está tentando dizer. Mesmo que demore muito para expressá-lo. Alguns têm grande dificuldade em expressar o que os preocupa profundamente. E eles também podem sentir quando estamos ficando impacientes em ouvi-los. E quando eles sentem isso, eles se fecham, porque eles acreditam que nós realmente não nos importamos.
  4. E às vezes, devemos ter tempo para repetir para a pessoa o que ela acabou de nos dizer. Portanto, podemos ter certeza de que ouvimos corretamente. Isso mostra respeito por quem você está ouvindo. E nossa resposta será baseada em um entendimento mais claro. E eles estarão mais prontos e dispostos a ouvir nossa resposta.

É normal admitir que você não sabe a resposta. E quando for esse o caso, vocês podem concordar em oração juntos que Deus revelaria a resposta a um ou a ambos.

O próprio Jesus esperou que seu Pai celestial também lhe desse sabedoria e direção.

“Então respondeu Jesus, e disse-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer por si mesmo, a não ser o que vê o Pai fazer; ~ João 5:19

Se você notar na escritura acima, Jesus está dizendo: “Eu sigo a liderança de meu pai”. Jesus, o filho de Deus, não confiou em seu próprio pensamento e compreensão, enquanto esteve na Terra. E Jesus também se deu ao trabalho de ouvir e entender as perguntas que lhe eram feitas. Ele fez isso para nos dar um exemplo.

No Velho Testamento, houve um tempo em que o servo do profeta empurrou uma mulher para o lado por causa de sua demonstração emocional, que ele considerava inadequada. Mas Eliseu o deteve.

“E quando ela se aproximou do homem de Deus ao monte, agarrou-o pelos pés; mas Geazi chegou perto para a afastar. E o homem de Deus disse: Deixai-a; porque a sua alma se atormenta dentro dela; e o Senhor o escondeu de mim, e não me disse. ” ~ 2 Reis 4:27

Deus pode esconder de nós o entendimento por um tempo. Às vezes, ele escolheria fazer isso, para ver se somos humildes o suficiente para orar e reservar um tempo para esperar.

Tudo o que foi dito até agora é importante, porque um ministro nunca será capaz de conduzir alguém ao humilde lugar de arrependimento, se nunca conquistou a confiança dessa pessoa. E como eu já disse, alguns ministros podem ter um grande dom para a pregação, mas por causa de sua impaciência e confiança na experiência própria, eles são horríveis às vezes em suas orações e aconselhamento individuais.

A escritura a seguir é um exemplo que descobri que funciona muito bem ao conduzir uma pessoa a uma vida em Cristo Jesus. É encontrado em Isaías 55: 6-9

[6] Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto:

É muito importante sentir como o Espírito Santo está falando ao coração do indivíduo. E então às vezes devemos perguntar: "o que o Senhor está dizendo a você agora?" E devemos explicar a eles, quando o Senhor está falando com você, esse é o momento em que ele está perto, e que você pode encontrá-lo. Não temos garantia de um tempo posterior, então precisamos responder a ele agora.

[7] O ímpio abandone o seu caminho, e o ímpio os seus pensamentos; e volte-se para o Senhor, e ele terá misericórdia dele; e ao nosso Deus, porque ele perdoará abundantemente.

Deus está observando como estamos respondendo a ele. E quando Deus nos revela que há algo errado em nossa vida, é hora de abandonar e deixar para trás. Quando fazemos isso, estamos voltando para o caminho de Deus. E, além disso, começaremos a perceber que a maneira como temos pensado e tomado decisões, agora deve mudar!

[8] Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. [9] Pois assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.

Para iniciar o caminho da verdade de Deus, o pecador deve sentir pessoalmente o quanto Deus é maior do que eles. E quão mais sábios e elevados são os seus caminhos do que os deles. Não que pareçam inacessíveis, mas sim que podem parecer muito melhores! E admirados com a glória de Deus, eles começariam a respeitá-lo em todas as decisões da vida.

Portanto, como ministro, devemos aprender a sentir onde o indivíduo está em sua compreensão de Deus e como se posiciona diante dele. O indivíduo é sensível ao Espírito de Deus picando em sua consciência? Como eles estão reagindo a Deus quando ele fala com eles. Não como eles estão reagindo a você, quando você fala com eles. Há uma diferença. E o que é mais importante, é como eles estão reagindo a Deus.

No Salmo 51, lemos as palavras de um indivíduo que se tornou profundamente ciente de sua condição pecaminosa diante de Deus. Pela expressão do que sentem profundamente, podemos ver claramente como o Espírito Santo tem lidado com eles. E então, neste salmo, há uma lição que nos ajuda a sentir a mesma obra do Espírito Santo lidando com os outros.

“Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. ” ~ Salmo 51: 1-3

O pecador tem a sensação de que sua alma e o que há nela estão abertos e nus diante de Deus. Não há nada a ser escondido, então eles estão confessando tudo. E eles sentem essa realidade tão intensamente que estão chorando por alívio.

“Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Faça-me ouvir alegria e alegria; para que os ossos que quebraste se alegrem. Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades. ” ~ Salmo 51: 7-9

A sujeira do pecado é sentida em seu ser interior, e parece que seus ossos estão se quebrando. E desejam ser purificados. Querem a alegria que costumavam ter na vida, no passado. E isso não é possível enquanto Deus vê seus pecados nus e descobertos.

Eles não querem uma cobertura religiosa para seus pecados, para que possam se esconder da face de Deus. Eles estão sendo honestos e reconhecendo diante de Deus sua condição desesperadora. Eles estão convencidos de que seu remédio é somente por meio da misericórdia de Deus e do sacrifício de seu filho Jesus Cristo por eles.

“Cria em mim um coração puro, ó Deus; e renovar um espírito reto dentro de mim. Não me lances fora da tua presença; e não retires de mim o teu espírito santo. ” ~ Salmo 51: 10-11

Eles percebem que o próprio espírito que têm dentro é feio. E somente o Espírito de Deus dentro é o espírito certo. E enquanto o Espírito de Deus está lidando com as necessidades de sua alma, eles sentem a urgência de responder agora! Portanto, eles estão implorando a Deus para não tirar seu Espírito e deixá-los. (Em Gênesis 6: 3 está escrito “Meu Espírito nem sempre lutará com o homem.”)

“Restaura para mim a alegria da tua salvação; e sustenta-me com teu espírito livre. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos; e pecadores serão convertidos a ti. Livra-me da culpa de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação; e a minha língua cantará em voz alta a tua justiça. ” ~ Salmo 51: 12-14

Com a verdadeira restauração da alma, vem uma visão para as necessidades espirituais que os outros têm. Esta é outra evidência do Espírito Santo realmente operando dentro do indivíduo. Se eles realmente receberam a misericórdia da salvação, eles terão um movimento dentro de suas almas em direção à necessidade de outras almas perdidas serem salvas. E isso se manifestará de maneiras diferentes, dependendo do indivíduo.

E assim, ao mesmo tempo, embora as pessoas estejam perto da igreja por muito tempo, precisamos reconhecer quando há uma falta de resposta nelas ao Espírito de Deus. Quando a freqüência à igreja e os programas da igreja se tornaram sua justiça, ao invés do próprio Deus. E eles não estão mais respondendo ao Espírito de Deus, mas sim às expectativas dos outros. E eles estão vivendo uma vida de auto-satisfação, dentro da "igreja".

“Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu e o outro publicano. O fariseu se levantou e orou assim consigo mesmo, Deus, eu te agradeço, que não sou como os outros homens são, extorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, dou o dízimo de tudo o que possuo. E o publicano, estando de longe, não queria levantar nem mesmo os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Deus tenha misericórdia de mim, pecador. Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e aquele que se humilha será exaltado. ” ~ Lucas 18: 10-14

A oração do fariseu não era alcançar Deus, e mover Deus no trono. Sua oração era "consigo mesmo". Em certo sentido, as palavras de sua oração estavam certas. Ele estava agradecendo a Deus por todas as bênçãos que recebia em sua vida em torno da "igreja". Ele estava grato por não estar se comportando como o pecador.

Mas observe que o pecador foi apenas reconhecido como alguém a ser evitado. O fariseu não tinha nenhum peso por este pobre publicano. O publicano rezava sozinho. Não havia ninguém para orar com ele, nem aconselhá-lo. Ele foi à igreja sozinho e deixou a igreja sozinho. E foi apenas a misericórdia do Espírito de Deus que o alcançou. Caso contrário, ele estava sozinho, embora frequentasse a "igreja".

Que o Senhor ajude qualquer um de nós que afirma ser um ministro do Senhor, ser guiado pelo Espírito, em como orar e aconselhar outras pessoas. E que possamos ter paciência para reconhecer como o Espírito de Deus está falando ao indivíduo, antes de tentarmos falar ao indivíduo.

Deixe um comentário

pt_BRPortuguês do Brasil