Aconselhamento e testemunho - não pregação

Primeiro, vamos ser claros ao definir o que é pregação.

Pregação - a entrega de um sermão ou discurso religioso, para um grupo reunido de pessoas.

A pregação é um método de comunicação unilateral. Além disso, se a pregação for bem feita, significa que você está falando o que o Senhor já lhe disse.

Aconselhamento e testemunho eficazes são muito diferentes. É onde você tem uma conversa sobre o que o Senhor já mostrou a outra pessoa. É sobre o que o Senhor já lhes mostrou, não o que ele já mostrou vocês. Se as pessoas pudessem compreender essa diferença, seriam muito mais eficazes no aconselhamento e no testemunho às almas.

Há uma lição importante na abordagem que Filipe adotou ao testemunhar para o eunuco etíope.

“Então o Espírito disse a Filipe: Chega-te e ajunta-te a este carro. E Filipe correu para lá, e o ouviu ler o profeta Isaías, e disse: Entendes tu o que lês? E ele disse: Como posso, se algum homem não me guiar? E ele desejava que Philip subisse e se sentasse com ele. O lugar da escritura que ele leu foi este: Ele foi conduzido como uma ovelha ao matadouro; e como um cordeiro mudo diante do seu tosquiador, assim ele não abriu a boca ”~ Atos 8: 29-32

E com base na escritura sobre a qual o Espírito Santo já estava falando ao coração do eunuco, Filipe começou a aconselhar e testificar ao eunuco.

“E o eunuco respondeu a Filipe, e disse: Rogo-te, de quem fala isso o profeta? de si mesmo ou de algum outro homem? Então Philip abriu a boca, e começou na mesma escritura, e pregou a ele Jesus. ” ~ Atos 8: 34-35

Em primeiro lugar, o Espírito de Deus não disse: “clama ao eunuco, para que venha até onde está Filipe”. Deus disse a ele: junte-se à sua carruagem. E quando o fez, o eunuco o convidou para entrar em sua carruagem. Filipe “bateu na porta” perguntando sobre o que o eunuco estava preocupado.

Em segundo lugar, considere mais sobre como Philip "bateu na porta". Filipe perguntou ao eunuco se ele entendia a escritura que o eunuco estava lendo. Filipe não lhe perguntou: “por favor, leia isto que já preparei para você ler e falar”.

Filipe estava se tornando vulnerável, por confiar que o Senhor lhe daria as palavras que ele precisava responder. Isso não significa que Filipe foi descuidado em seu estudo pessoal das escrituras. Filipe dedicava tempo diariamente à leitura das escrituras por conta própria e a orar regularmente pedindo a compreensão do Senhor. E esse entendimento que ele já tinha, permitiu-lhe responder à pergunta dos eunucos. Ele respondeu ao eunuco com a mesma escritura que o eunuco já estava estudando. Aquele por quem Deus estava incomodando o eunuco.

Além disso, posso dizer por experiência pessoal que o Senhor também lhe dá um entendimento mais profundo, às vezes bem no momento em que você está explicando uma escritura para alguém.

“E quando eles vos trouxerem às sinagogas e aos magistrados e poderes, não vos preocupeis como ou o que haveis de responder, ou o que haveis de dizer: Pois o Espírito Santo te ensinará na mesma hora o que deveis dizer. ” ~ Lucas 12: 11-12

Sim, mesmo aqueles que o julgariam: você precisa esperar para ouvir suas acusações, antes de responder. E precisamos aprender a falar apenas o que o Espírito Santo nos mostra para falar.

Jesus disse de si mesmo:

“Eu não posso fazer nada por mim mesmo: como eu ouço, eu julgo: e meu julgamento é justo; porque não procuro a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou. Se eu testifico de mim mesmo, meu testemunho não é verdadeiro. Outro é quem dá testemunho de mim; e sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro ”. ~ João 5: 30-32

Jesus está mostrando que enquanto estava na terra, ele realmente estava sujeito às mesmas limitações que nós. Sem o Espírito guiando e mostrando-o, ele pouco poderia discernir. Portanto, sabemos que Jesus gastou muito tempo em oração dependendo de seu Pai celestial. Mas as escrituras também nos mostram que Jesus tinha que ouvir, para entender como o Espírito Santo já estava trabalhando com as pessoas.

Você sabia que Jesus era um excelente ouvinte? Ele sabia ouvir as pessoas e o Espírito Santo. E ao ouvir as pessoas, o Espírito Santo revelaria coisas a ele.

Observe a progressão da discussão que Jesus tem com o homem rico. Ele começa muito geral, de alto nível. E a seguir, de acordo com as perguntas feitas pelo homem rico, Jesus então foi mais específico em sua resposta.

“E eis que veio um e disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para ter a vida eterna? E ele lhe disse: Por que me chamas bom? não há outro bom, senão um, isto é, Deus; mas se quiseres entrar na vida, guarda os mandamentos. Ele disse a ele: Qual? Disse Jesus: Não matarás, Não cometerás adultério, Não roubarás, Não dirás falso testemunho, Honra a teu pai e a tua mãe; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. Mas quando o jovem ouviu aquela palavra, ele foi embora triste, porque ele tinha muitos bens. ” ~ Mateus 19: 16-22

Jesus primeiro mostra que todo bem só vem de Deus. O próprio Deus é o autor de todo o bem. Portanto, a única resposta que importa é aquela que vem de Deus. Ele está orientando o homem rico para onde ele deveria, em última análise, buscar sua resposta. E também devemos fazer o mesmo ao aconselhar. E então esta escritura também é uma lição para nós hoje: no aconselhamento.

Portanto, ao buscar essa resposta de Deus, Jesus primeiro responde ao homem rico de uma maneira muito geral: guarde os mandamentos.

Então o homem pergunta: quais mandamentos? Jesus lista seis deles.

O homem cumpre esses mandamentos desde a juventude. Mas ainda assim ele sabia, no fundo, que não era o suficiente. Ele não entendia, mas o Espírito Santo o estava chamando para uma obra maior para o Senhor. Em outro lugar nas escrituras, isso nos mostra que depois que Jesus ouviu o que o homem disse, ele entendeu e respondeu.

“Agora quando Jesus ouvi essas coisas, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo o que tens e distribui pelos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. ” ~ Lucas 18:22

E assim foi a última resposta de Jesus, que realmente foi responder ao fardo específico que o Espírito Santo já havia falado ao coração do homem rico. Ao ouvir as respostas do homem, Jesus foi claramente capaz de discernir sobre o que o Espírito Santo o estava incomodando. Deus estava chamando este jovem. Mas ele não poderia ser escolhido para esse chamado, a menos que estivesse disposto a abandonar suas riquezas.

E então Jesus chamou este homem rico e deu-lhe duas designações:

  1. Venda o que você tem e distribua para os pobres. Ao fazer isso, o jovem seria transformado de um homem rico em um homem pobre. Sua identidade entre os ricos deste mundo mudaria. Como Paulo, ele teria que “se tornar como os pobres” - aqueles aos quais ele agora era chamado para ministrar.
  2. "…me siga." Ele foi convidado para fazer parte do ministério dos apóstolos e discípulos do Senhor. Uma vocação extremamente alta.

Mas ele não estava disposto a ser mudado novamente. Nem todo mundo está pronto para atender a chamada na primeira vez. Espero que este homem tenha respondido mais tarde. Antes tarde do que nunca.

Em nosso aconselhamento e testificação, ao dirigirmos o que o Espírito Santo já está falando ao coração da pessoa: muitas vezes as pessoas se recusarão a seguir o Espírito Santo - de todo modo. Não nos surpreendamos com esta situação recorrente. Nosso Senhor nos disse que seria assim.

“E quando o rei entrou para ver os convidados, viu ali um homem que não usava veste nupcial: E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, sem vestes nupciais? E ele ficou sem palavras. Então disse o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes. Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos ”. ~ Mateus 22: 11-14

Este homem atendeu ao chamado para ir ao casamento. Mas ele não estava disposto a ir longe o suficiente. As vestes nupciais representam aquele chamado espiritual mais profundo para o serviço sacrificial e o verdadeiro amor sacrificial. E nem todos que o Senhor chama, responderão a esse chamado de amor sacrificial. E nem todo mundo que realmente responde a esse chamado, permanecerá fiel até o fim.

“Estes farão guerra ao Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá; porque ele é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; e os que estão com ele são chamados, e escolhidos, e fiéis.” ~ Apocalipse 17:14

Nesta escritura, ao contrário, mostra quem fará guerra contra o cordeiro. São aqueles que não atendem ao chamado, ou aqueles que atenderam ao chamado, e depois se tornaram infiéis e amargos.

Portanto, independentemente de quem seja, quando aconselharmos e testificarmos a eles, ainda devemos perguntar sobre o que o Espírito Santo já disse a eles. E se eles ainda não respondem ao Espírito Santo, da próxima vez que quiserem nos aconselhar novamente, devemos lembrá-los do que o Espírito Santo já disse a eles.

“Portanto, não serei negligente em lembrar-vos sempre destas coisas, embora as conheçais e sejais firmados na verdade presente. Sim, eu acho que é adequado, enquanto eu estiver neste tabernáculo, despertar-vos, colocando-vos na memória ”~ 2 Pedro 1: 12-13

Você só pode colocar alguém em lembrança, lembrando-o das coisas que ele já reconheceu: em seu próprio coração. Coisas das quais eles já foram convencidos, pelo Espírito Santo. Qualquer outra coisa, eles provavelmente esqueceram. Porque se não veio do Espírito Santo, não teve um impacto profundo sobre eles.

“Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará todas as coisas e fará com que todas as coisas vos sejam lembradas, tudo o que eu vos tenho dito”. ~ João 14:26

Às vezes, as pessoas se acomodam sob a mensagem do evangelho e não respondem a Deus naquele momento específico. Mas isso não significa que Deus acabou com eles. Eles podem até ir embora e não voltar por muitos meses ou anos.

Mas quando eles voltarem, será porque o Espírito Santo de Deus os está lembrando do que ele já lhes falou. Por isso é importante perguntarmos: “do que o Senhor está te lembrando? Sobre o que ele já falou ao seu coração antes? ” Esse é o lugar para começar sua conversa com eles.

Devemos retomar a conversa, de onde pararam de ouvir o Senhor. Porque, novamente, para sermos eficazes, devemos lidar com eles de acordo com a maneira como Deus tem lidado com eles.

Muitas vezes as pessoas querem falar sobre tudo o mais, exceto sobre sua real necessidade espiritual. E é porque eles estão em negação. Mas, se receberem ajuda, será porque percebem que não há como negar o que o Senhor já lhes falou.

Antes de Jesus ser levado para ser crucificado, ele avisou a Pedro que o negaria. E então, quando eles estavam no jardim orando, ele alertou novamente Pedro e outros: vigiem e orem. Mas eles não ouviram então. E todos eles abandonaram o Senhor naquela noite. E logo depois, Pedro negou o Senhor três vezes.

Mais tarde, depois da ressurreição, Jesus lembrou a Pedro disso e de sua necessidade de provar seu verdadeiro amor sacrificial.

“Depois de comerem, Jesus disse a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? Ele disse-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Ele disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe uma segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Ele disse-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Ele disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Disse-lhe pela terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Pedro entristeceu-se porque lhe disse pela terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras jovem, te cingiste e andas aonde queres; mas quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde queres não." ~ João 21: 15-18

Jesus perguntou a Pedro três vezes se ele o amava, porque ele estava lembrando a Pedro que ele o havia negado três vezes. É muito importante o que fazemos pessoalmente ao Senhor. Como o tratamos pessoalmente. Estou falando sobre quando Deus fala ao nosso coração e como respeitamos o que ele diz, ignoramos o que ele diz ou desrespeitamos completamente o que ele diz.

Não é o que dissemos a eles, mas o que Deus falou ao seu coração.

Sob a pressão de fortes tentações, Pedro não deu ouvidos ao aviso que o Senhor lhe disse e negou o Senhor. E mesmo naquele mesmo momento, quando o Senhor olhou para ele, Pedro foi lembrado, e isso partiu seu coração. É por isso que a escritura nos diz que ele saiu e chorou, depois de negar o Senhor. E é por isso que o Senhor teve misericórdia dele, porque embora ele não tivesse dado ouvidos ao aviso, ele ainda mais tarde respondeu ao chamado e permaneceu fiel.

Quando o Espírito Santo fala ao coração, essas são as palavras e o testemunho que mais importa. Por isso, é importante lembrar às pessoas que elas devem respeitar o que o Senhor já falou ao seu coração.

Poucos fizeram isso, mas houve alguns que desrespeitaram completamente e blasfemaram contra o que o Espírito Santo testemunhou para eles. Isso significa que eles atribuíram aquele testemunho do Espírito Santo a realmente ser de Satanás. Mesmo sabendo em seu coração, que o próprio Deus havia testemunhado para eles.

“E se alguém falar uma palavra contra o Filho do homem, isso será perdoado; mas àquele que blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado.” ~ Lucas 12:10

Portanto, nesta escritura novamente, vemos que a coisa mais importante que devemos lembrar às pessoas é o que o Espírito Santo testemunhou pessoalmente em seus corações.

Então, novamente, não se trata do que você acha que precisa ser dito a eles. E não é sobre coisas leves e sem sentido que eles preferem falar, para evitar seu desconforto espiritual. É sobre o que Deus já falou com eles pessoalmente. E, portanto, devemos pedir-lhes que tragam à sua própria lembrança as coisas sobre as quais Deus já lhes falou. E a partir daí, nosso aconselhamento e testemunho serão muito mais eficazes!

Deixe um comentário

pt_BRPortuguês do Brasil